He for She

Acho que um dos assuntos mais comentados nos últimos dias  foi o discurso que a Emma Watson proferiu num evento da campanha He for She da UN Women – organização dedicada a promover a igualdade de gênero e empoderamento das mulheres.

Vocês já assistiram o discurso? Só hoje eu tive tempo de ver com calma e fiquei impressionada. Eu já gostava da Emma Watson (eterna Hermione de Harry Potter), mas não tinha ideia do quanto ela é eloquente e fiquei surpresa com a propriedade com que ela abordou o assunto da igualdade de gênero e feminismo.

O vídeo é esse aqui (legendado!):

Dentre todos os assuntos e estatísticas que ela abordou, o finalzinho do discurso foi o que mais me chamou atenção. Vejam o que ela fala:

“Vocês devem estar pensando: quem é esta garota do Harry Potter? O que ela está fazendo na ONU? É uma boa pergunta e eu tenho me perguntado a mesma coisa. Tudo que eu sei é que eu me preocupo com este problema. E eu quero torná-lo melhor. E depois de ter visto o que eu vi, sinto que é minha responsabilidade dizer alguma coisa. O estadista Edmund Burke disse: ‘tudo que é necessário para que as forças do mal triunfem é que suficientes homens e mulheres de bem não façam nada.’ No meu nervosismo para este discurso e nos meus momentos de dúvida eu disse a mim mesma firmemente: se não eu, quem? Se não agora, quando? Se vocês tiverem dúvidas semelhantes quando oportunidades forem apresentadas a vocês, espero que essas palavras possam ser úteis. (…) Estou convidando você a tomarem a iniciativa; a serem vistos e a perguntarem a si mesmos: se não eu, quem? Se não agora, quando?”

Inspirador, não? São perguntas simples, mas que nos colocam como atores importantes, não apenas na luta para promoção da igualdade de gênero, mas também para outras lutas que, muitas vezes, não achamos que são nossas.

Num país como o nosso, marcado por profundas desigualdades – de gênero, social, étnica, dentre tantas outras  -, fica o convite e a reflexão sobre o que podemos fazer pra tentar erradicar essas desigualdades.

Se não eu, quem? Se não agora, quando?

 

Anúncios

2 pensamentos sobre “He for She

  1. Vale a pena ouvir o discurso dela. Gostei bastante das duas perguntas colocadas por ela; são válidas, como você mesma disse, não apenas na questão da desigualdade, como também em outras diversas situações nas quais podemos tomar frente em nome de um bem comum. Admiro quem dá esse passo, pois são decisões que exigem certa dose de coragem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s