Sobre os nãos da vida

Esta semana foi bem propícia pra pensar na vida. Parece que certas coisas acontecem justamente para colocarmos nossa listinha de prioridades em ordem… Então, fiquei pensando sobre os nãos que recebemos na vida e como eles mexem tanto com a gente.

Já perdi a conta de quantos nãos recebi. Desde aqueles de mãe quando não podemos comer tal coisa, ir em algum lugar ou ficar até tarde na casa do coleguinha, até aqueles nãos mais sérios quando não conseguimos um emprego.

Alguns nãos são mais doídos que outros; receber um não daquele moço que a gente gosta, por exemplo. Tem coisa mais doída que coração partido?

Ou aquele sonoro não que nem vem escrito, mas está lá, bem claro, quando não vemos nosso nome da lista de aprovados no vestibular dos sonhos. Ah… Este, na minha vida, apareceu várias vezes. E, nossa, é uma sensação de derrota instantânea…

E quando a gente cresce um pouco mais vem aquele não do mercado de trabalho. “Não. Você não fez estágio.” Não. Seu currículo não é bom.” “Não. Você é inexperiente.” “Não. Seu projeto de mestrado não é bom.” “Não. Doutorado não é pra você.” E por aí vai…

Image

Como lidar com estes nãos? Com os nãos que fazem com que a gente desacredite que é capaz; que tem experiência sim; que tem capacidade de fazer um doutorado… Ah, minha gente, estes nãos são os mais complicados. São estes que podem acabar com a gente com uma palavrinha.

Alguns meses atrás eu vivi um não deste tipo. E veio de uma pessoa em quem eu confiava muito e, pior, veio disfarçado de sim. Confesso que demorou um bom tempo para que eu me livrar dele. Foi preciso muita conversa com quem gosta de mim de verdade e uma boa dose de ânimo para eu enxergar que aquele não não poderia me impactar; eu era melhor do que aquilo que a pessoa queria que eu acreditasse.

Acho que aí está o segredo da coisa: entender que somos humanos e como humanos temos qualidades e defeitos e não podemos deixar os nãos determinarem nosso jeito de agir com a gente mesmo.

Depois de muito pensar esta semana cheguei à conclusão que os nãos que eu recebi na vida me fizeram ter humildade e isso é bom. Por um tempo, encarava estes nãos como o fim do mundo, mas agora, apesar da ponta de raiva, decepção, frustração ou derrota, os nãos são motivadores. Eles acabam me dando força pra provar pra mim mesma que sou capaz.

Talvez seja esta a função dos nãos: serem motivadores. É claro que a gente sofre, chora, esperneia, acha que é o fim do mundo e que somos o pior dos seres humanos… Mas, depois que acalmamos vem a hora de olhar pra frente e encarar que podemos sim ser melhor do aquele não! Talvez este seja o desafio.

Alguém aí recebeu muitos nãos na vida? Gostaria de compartilhar? =)

Image

 

“Hoje é hoje e ontem se foi. Não há dúvidas.” Pablo Neruda. Propício, não?

Anúncios